Em posse, diretor da EESC reforça defesa da autonomia universitária

No dia 2 de maio, tomaram posse o novo diretor da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), Edson Cezar Wendland, e o vice-diretor da Unidade, Denis Vinicius Coury. A cerimônia aconteceu no Anfiteatro Luiz Gastão de Castro Lima e contou com a presença de dirigentes, ex-diretores, docentes, funcionários, alunos e familiares.

 

eesc posse cecilia bastos

Em seu discurso, o novo diretor da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), Edson Cezar Wendland, destacou o processo de interiorização da USP na década de 1940 – Foto Cecília Bastos/USP Imagens

 

“A USP sempre me ofereceu excelentes oportunidades de crescimento pessoal e profissional, contribuindo significativamente para o desenvolvimento da minha carreira. Vejo essa nova etapa como minha missão institucional e como uma oportunidade para retribuir parte dos benefícios que a USP me proporcionou”, afirmou o novo diretor em seu discurso de posse.

 

Wendland também falou sobre a criação da Universidade e o processo de interiorização da USP na década de 1940. Para finalizar, apresentou uma reflexão sobre a importância da educação e da necessidade da defesa da autonomia universitária.

 

“A universidade é uma instituição autônoma que, de modo crítico, produz e transmite a cultura através da pesquisa e do ensino. Para atender às necessidades do mundo contemporâneo, ela deve ser independente de qualquer poder político, econômico e ideológico. Sem dúvida, vivemos um momento preocupante de distanciamento dos padrões internacionais, com risco de retrocesso ao obscurantismo, e cujo enfrentamento exige conhecimento, coragem e muito diálogo com a sociedade. Quero reafirmar o compromisso da EESC na defesa intransigente da autonomia universitária. Tenho a confiança de que a sociedade são-carlense, que, há 70 anos, lutou pela instalação da USP em São Carlos, certamente estará ao nosso lado para defender a instituição dos injustos ataques vivenciados atualmente”, concluiu Wendland.

 

nova_direcao

(Da esq. p/ dir.) O vice-reitor Antonio Carlos Hernandes; o diretor da EESC, Edson Cezar Wendland; o reitor Vahan Agopyan; o secretário-geral da Universidade, Pedro Vitoriano de Oliveira; e o vice-diretor da Escola, Denis Vinicius Coury – Foto Cecília Bastos/USP Imagens

 

O reitor Vahan Agopyan defendeu que “a autonomia financeira e administrativa foi um divisor de águas para as universidades estaduais paulistas e é a nossa maior garantia de qualidade e de manutenção das instituições”.

 

“Já na segunda metade do século XIX, os líderes paulistas decidiram criar as escolas técnicas porque acreditaram na educação como ferramenta para impulsionar o desenvolvimento econômico e social. Hoje, é inquestionável o benefício que essa decisão trouxe e de como a educação ajudou a nos diferenciar dos outros Estados brasileiros. Espero que continuemos tendo, pelo menos aqui no Estado de São Paulo, lideranças políticas e sociais com a mesma competência, posicionamento e clareza dos líderes que tivemos nos últimos dois séculos”, disse Agopyan.

 

Por Erika Yamamoto do Jornal da USP

 

EESC para você         

Autonomia Universitária

Mais Buscados

Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo.