Artigos

Engenharia Elétrica - Ênfase em Eletrônica

Apresentação

O curso de Engenharia Elétrica com ênfase em Eletrônica está voltado principalmente aos estudos de sistemas e circuitos eletrônicos analógicos e digitais, assim como seus dispositivos e materiais. O curso fornece uma forte formação científica básica, bem como uma vasta formação profissional em Engenharia Elétrica que permite uma atuação bastante flexível no mercado de trabalho. No decorrer do curso, os estudos abordam sistemas e métodos de telecomunicações, automação e controle, computação, medidas e instrumentação eletro-eletrônica e processamento de sinais analógicos e digitais, fazendo com que o profissional egresso possua formação em Engenharia Elétrica/Eletrônica, com uma grande flexibilidade de atuação em diversos campos da mesma. Além de sólida conceituação em Engenharia Elétrica e dos conhecimentos específicos da ênfase, ao estudante deste curso é dada a opção de aprofundar seus estudos em sub-áreas especializadas da eletrônica, obtendo um certificado de estudos especiais. Para isso são oferecidas atualmente as sub-áreas: Instrumentação e Controle; Sistemas Digitais; Telecomunicações; e Engenharia Biomédica.

Disciplinas

A estrutura do curso é caracterizada por disciplinas obrigatórias de formação plena, obrigatórias da ênfase e optativas eletivas. As primeiras fornecem ao estudante a base científica, a formação geral de engenharia, as ferramentas de análise e síntese, e a formação básica de Engenharia Elétrica. São disciplinas de matemática, física, química, computação, desenho, ciências humanas, gerência e administração e ambientais, disciplinas básicas de engenharia elétrica e eletrônica e de outras áreas de engenharia. As disciplinas obrigatórias da ênfase aprofundam os conceitos básicos de eletrônica complementando a formação dos alunos nesta área. O aluno irá adquirir maiores conhecimentos e detectar suas tendências visando possíveis estudos mais específicos em alguma subárea da Eletrônica.

As optativas eletivas complementam a formação do estudante em assuntos de seu interesse específico. O estudante poderá fazer um grupo coerente destas disciplinas e adquirir certo grau de especialização em uma subárea da Engenharia Elétrica. No final do curso, o aluno deverá também realizar atividades de estágio e desenvolver um projeto de formatura.

Extracurricular

A formação do estudante universitário não se completa apenas através de suas atividades em salas de aula e estudos formais. Sua vida acadêmica é enriquecida através de atividades extra-curriculares. Desde os primeiros anos do curso, os estudantes são incentivados a participar de programas de iniciação científica, trabalhos e projetos de prestação de serviços à sociedade desenvolvidos por diversos departamentos, ou por meio da Empresa Júnior (EESC-Junior). Podem também se agregar a diversos grupos de projeto visando disputas em competições universitárias, tais como, Mini-Baia, Aero-Design, Futebol de Robôs e outros. Podem participar também de atividades culturais, artísticas e esportivas.

O profissional

O Engenheiro Eletricista com ênfase em Eletrônica ocupa-se principalmente com a aquisição, transmissão, processamento e utilização da informação, assim como a elaboração de sistemas, componentes, e dispositivos para aplicações médicas, industriais, residenciais e outras. Poderá dedicar-se à carreira universitária, bem como institutos de pesquisa. Poderá atuar em empresas privadas e/ou públicas participando de estudos preliminares, projeto e desenvolvimento, construção, fiscalização, ensaios, operação e manutenção de equipamentos e/ou sistemas eletro-eletrônicos. Se tiver características empreendedoras, poderá também desenvolver sua própria empresa e/ou trabalhar como consultor em sua área de especialidade. Deverá também estar preparado para atuar em administração, vendas e compras técnicas, e assumir cargos de chefia, gerência e direção de empresas e/ou órgãos públicos e privados.

Palavra do profissional

 

O engenheiro é o indivíduo com capacidade para direcionar os recursos da natureza de forma consciente para o bem estar da sociedade. Esta assertiva nunca teve uma visão tão ampla quanto atualmente. As necessidades empresariais e industriais buscam um engenheiro eclético, com capacidades múltiplas. E estas não se resumem apenas ao uso do computador ou da geração de um projeto ou simulação, limitando o espaço físico de atuação a uma sala ou escritório. O mercado necessita do indivíduo que conjugue tão bem a atividade de projeto como a de atuação em campo: um “sujar de mãos” que aumenta a experiência e dosa o senso de pragmatismo e custo de um projeto ou equipamento. É necessário também que tenha conhecimento sobre a formação de custos e incidências tributárias. O melhor projeto é aquele simples, que pode ser executado e possui custo para ser vendido. Necessárias também são as características pessoais: comprometimento, facilidade de comunicação, e capacidade para liderar pessoas, de forma firme, educada e responsável. Todas estas características apontam para um profissional eclético! E este é o engenheiro, elemento cuja propedêutica de formação permite atividade flexível, visão de conjunto e capacidade organizacional; condições imprescindíveis para o mercado de trabalho.

Prof. Dr. José Guilherme Sabe Engenheiro Eletricista – Eletrônico – EESC-USP (1981)

[atualizado em 08-08-2012]

 

icone botao mais

 

           Homepage do curso

EESC para você         

AlumniUSP

Mais Buscados

Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo.