EESC sediou III Simpósio sobre Resíduos Sólidos

Pesquisadores, estudantes, representantes do poder público e das sociedades civil e privada participaram, de 2 a 4 de dezembro, na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP, do III Simpósio sobre Resíduos Sólidos (SIRS). O evento foi organizado pelo Núcleo de Estudo e Pesquisa em Resíduos Sólidos (NEPER), composto por pesquisadores da Escola e do Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU), sob coordenação do professor Valdir Schalch, do Departamento de Hidráulica e Saneamento da EESC.


ImagemO simpósio teve como objetivo promover discussões acerca da conciliação entre desenvolvimento econômico, bem-estar social e qualidade ambiental, bem como divulgar pesquisas e experiências para a comunidade científica e a sociedade e articular profissionais e instituições para futuras parcerias.


Para dar início às atividades, foi realizada a abertura oficial com a presença dos professores Sérgio Proença, vice-diretor da EESC, Valdir Schalch, coordenador do NEPER, Javier Pablos, representando o IAU e coordenador acadêmico do SIRS, Mario Russo, do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Portugal, e Wellington de Almeida Leite, chefe do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Guaratinguetá representando, na ocasião, os membros externos do NEPER.


A edição do simpósio homenageou o professor Edson Martins de Aguiar (in memorian), do Departamento de Engenharia de Transportes da EESC, antigo membro do NEPER e incentivador das atividades desenvolvidas no núcleo. “O professor Edson deixou um legado muito interessantes para nós. Trabalhava bastante na área, sempre muito atento e participativo nos nossos encontros”, falou Schalch.


Durante a abertura, o vice-diretor da EESC destacou a importância dos grupos de pesquisa. “A Escola não pode deixar de dar apoio a esse simpósio e grupos, pois os benefícios sociais são claros, evidentes e os aspectos científicos são perfeitos. Temos orgulho de possuir grupos de pesquisas de excelência, e o NEPER é, sem dúvida, um dos nossos expoentes que neste momento exerce a liderança devida”, destacou Proença.


Foram realizadas palestras, apresentações de trabalhos e mesas-redondas, que discutiram temas como logística reversa, gerenciamento de resíduos e desenvolvimento de coprodutos, planos municipais de gestão de resíduos dos setores público e privado, sustentabilidade, compostagem, lodo de estação de tratamento de água, gestão e tecnologia em tratamento, educação ambiental, tecnologia em tratamento, política europeia e perspectivas da área.


Apesar da Política Nacional de Resíduos Sólidos ter sido sancionada e regulamentada em 2010, cerca de 70% dos municípios brasileiros ainda possuem lixões e apenas 1,2% possui coleta seletiva. Porém, segundo Schalch, as perspectivas ainda são positivas. “Nos últimos anos a área de resíduos sólidos tem sido bastante procurada, principalmente por ter um dinamismo muito importante. Muitas coisas precisam ser realizadas, excepcionalmente a formação de recursos humanos e massa crítica. Afinal, temos uma lei que deve ser seguida”, destacou o professor que atua na área há 35 anos.


O objetivo dos organizadores para o próximo simpósio, que deverá acontecer em 2015, é promover como tema de discussão a implementação dos planos da Política Nacional de Resíduos Sólidos e o andamento de suas aplicações por meio de debates com representantes do governo federal e estadual.

 

Por Nathália Nicola, da Assessoria de Comunicação da EESC

Fotos: Nathália Nicola e Umberto Patracon

 

 

EESC para você         

Autonomia Universitária

Mais Buscados

Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo.