EESC sediou 3º Encontro Nacional de Pesquisa-Projeto-Produção em Concreto Pré-Moldado

Pela terceira vez consecutiva, a Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP sediou, nos últimos dias 8 e 9, o 3º Encontro Nacional de Pesquisa-Projeto-Produção em Concreto Pré-Moldado (ENPPPCPM).

 

O evento, que acontece de quatro em quatro anos, reuniu cerca de 220 pessoas e contou com a participação de representantes do setor acadêmico (pesquisadores das instituições de ensino superior do país, incluindo professores, alunos de pós-graduação e de graduação) e do setor produtivo - projetistas, fabricantes de equipamentos e profissionais de empresas do segmento de produção de estruturas de concreto pré-moldado.

 

O encontro possibilitou aos dois setores uma troca profícua de conhecimento sobre pesquisas em desenvolvimento e necessidades atuais da indústria nacional ou regional.

 

Para a aluna do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas, Ellen Kellen Bellucio, o ENPPPCPM já está rendendo frutos. “Participar de eventos da área de pesquisa que trabalhamos é sempre bom. Tive a oportunidade de apresentar o meu trabalho, houve interesse por parte de uma empresa e já estamos analisando uma forma de implantar o que pesquisamos”, contou Ellen.

 

Organizado pelo Departamento de Engenharia de Estruturas da EESC, em parceria com o Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), o evento contou com palestras de profissionais e pesquisadores de renome, sessões técnicas e pôsteres.

 

Entre os convidados, estavam os professores Sami Rizkalla, da Universidade Estadual da Carolina do Norte (EUA), Marco di Prisco, do Politécnico de Milão (Itália), Minehiro Nishiyama, da Universidade de Kyoto (Japão) e Paulo Roberto do Lago Helene, da Escola Politécnica da USP.

 

Além das palestras, a ocasião contou com uma keynote apresentada pela presidente executiva da Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto (Abcic), Iria Lícia Oliva Doniak, que tratou sobre o avanço do desenvolvimento tecnológico da pré-fabricação do concreto pré-moldado no contexto mundial.

 

Segundo o coordenador do encontro, professor Mounir Khalil El Debs, esse tipo de atividade é importante porque proporciona aos participantes um canal de interação com os profissionais de outros países. “Esse contato é concretizado e gera resultados extremamente positivos posteriormente, e também ajuda a desenvolver as pesquisas dentro da universidade”, comentou.

 

Durante os dois dias de evento foram expostos 54 trabalhos, sendo 16 apresentados oralmente e 38 através de pôsteres, contendo pesquisas importantes da área de concreto pré-moldado. “Esse evento promoveu contatos que posteriormente irão gerar trabalhos importantes para o desenvolvimento da nossa Universidade e do nosso país”, destacou o professor Mounir.

 

O encontro também contou com o Painel dos Projetistas, onde foram apresentadas cinco obras de concreto pré-moldado elaboradas pelo setor privado por todo Brasil.

 

A terceira edição do encontro foi bastante elogiada pelos participantes e conseguiu atingir seus objetivos. Para o aluno Rodrigo Barros, do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas, foi muito gratificante participar de um encontro no qual estiveram presentes diversos pesquisadores da área. “Este congresso é um dos poucos que reúne os três segmentos da academia produtiva de concreto pré-moldado: produção, pesquisa e projeto. Tudo o que foi discutido se aplica diretamente no que estamos pesquisando e isso auxilia muito em nossos trabalhos”, enfatizou Barros. 

 

Por Nathália Nicola, da Assessoria de Comunicação da EESC

 

 

 

EESC para você         

Autonomia Universitária

Mais Buscados

Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo.